Aumento da Taxa Selic

 

Ontem, 28/08/2013, o Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu elevar a Selic em 0,5 ponto porcentual, para 9% ao ano. Com esse movimento, começa a se formar no mercado um consenso em torno de mais uma alta de 0,5 ponto percentual em outubro. Em seguida, espera-se outra elevação, de 0,5 ponto percentual ou de 0,25 ponto percentual, em novembro. Tal movimento levaria a taxa básica de juros a terminar o ano entre 9,75% ao ano e 10% ao ano.

Aumento de taxa básica de juros é um estímulo a poupança e consequentemente, desestímulo ao consumo. Com essas medidas o governo pretende conter o aumento da inflação através de um aperto monetário. Se reduzir o consumo, somos forçados a reduzir a produção e corremos o risco de aumento de desemprego. Consequentemente haverá redução da renda e isso leva a uma espiral de queda, pois com menos dinheiro disponível, consumimos menos e o ciclo se repete até que essa inércia de queda sofra um novo choque para mudar de direção.

O governo, infelizmente se limita a utilizar poucos instrumentos monetários e pequenas intervenções tributárias, no caso das reduções temporárias de IPI em alguns produtos específicos, para tentar colocar um rumo na economia.

A correção de direção deveria ser bem mais profunda e passar por uma revisão completa dos gastos do governo a fim de gerar gastos de melhor qualidade que realmente estimulem a economia na direção do crescimento consistente e de longo prazo.

O que observamos no entanto são pequenos e tímidos estímulos, em áreas pontuais em movimentos de curta duração.

A economia precisa ser alimentada constantemente de estímulos com visão de longo prazo. Assim como nós precisamos nos alimentar frequentemente, várias vezes por dia, a economia brasileira precisa ser estimulada, para ter crescimentos vigorosos. Como o governo muda as regras com muita frequência, ao invés de gerar estímulos, essas mudanças geram insegurança.

Como as empresas podem tomar decisões de investimentos vultuosos, de longo prazo, sem uma segurança de que as regras permanecerão favoráveis e os estímulos constantes?

Essa discussão não é nova. Por isso foram criadas as agência reguladoras: ANEEL, ANATEL, ANTT, ANAC, ANVISA, ANP, ANCINE e todas as outras. Mas elas realmente geram a segurança necessária?

Passou da hora dos nossos governantes e autoridades ministeriais criarem um pacote conjunto de estímulos que envolva todo o conjunto da economia. Uma visão global é urgente e imprescindível. Sem isso, vamos continuar como um cachorro sem direção, correndo atras do próprio rabo.

O momento é de atenção.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Economia

Uma resposta para “Aumento da Taxa Selic

  1. Aurea M Padula

    Professor Denis Medina,
    Excelente essa materia.E bom ver que alguma coisa esta mudando.
    Obrigada
    Aurea M PADULA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s