Arquivo da categoria: Economia

Previsão PIB 2017

Previsão para PIB 2017 é de crescimento acima de 0,7%

‘Prévia’ do PIB do Banco Central indica alta de 0,58% para a economia no 3º trimestre

IBC-BR apontou crescimento da economia brasileira pelo terceiro trimestre seguido.

 

Trajetória de Crescimento

A economia brasileira não só manteve a trajetória de crescimento no terceiro trimestre deste ano como também registrou aceleração do seu ritmo. É o que revela o resultado do Índice de Atividade Econômica (IBC-Br), divulgado pelo Banco Central nesta segunda-feira (20/11/2017).

 

Confirmação de Tendência

Entre julho e setembro, o índice apresentou alta de 0,58% quando comparado com o segundo trimestre de 2017 (abril a junho).

O resultado foi calculado após ajuste sazonal, uma espécie de “compensação” para comparar períodos diferentes de um ano.

Esse foi o terceiro trimestre consecutivo de expansão do indicador. Dados revisados pela autoridade monetária apontam para uma alta de 1,1% no primeiro trimestre e de 0,39% no segundo trimestre – sempre na comparação com os trimestres anteriores.

 

Previsões para 2017

Para 2017, a previsão de analistas do mercado financeiro é de alta do PIB de 0,73%, mas o Banco Central estima uma expansão um pouco menor, da ordem de 0,7%. Já o Ministério do Planejamento prevê uma alta de 0,5%.

Inflação sob Controle

Para 2017 e 2018, a meta central de inflação é de 4,5%, com um intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos. Desse modo, o IPCA, considerado a inflação oficial do país e medida pelo IBGE, pode ficar entre 3% e 6%, sem que a meta seja formalmente descumprida.

Neste ano, por conta da demora na retomada do nível de atividade, o mercado financeiro, e também a autoridade monetária, acreditam que a inflação oficial ficará abaixo da meta central de 4,5% – algo que não acontece desde 2009.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Economia

Mudança de Vida

Estamos vivendo tempos difíceis, isso ninguém tem dúvida.

Pense comigo por um momento:
Se não houvesse crise política, altos níveis de desemprego, empresas quebrando, inflação alta – Sua vida,  seria mais fácil?

Mudar o governo, baixar o dolar, reduzir a inflação… Isso vai provocar uma mudança na sua vida?

Vai mudar pra melhor?

Tem certeza?

Não tenho dúvidas de que tudo isso influencia diretamente nossas vidas.

Também não estou dizendo que essas mudanças não devem acontecer.

Acredito que se temos uma organização mal administrada, é preciso encontrar os problemas, corrigir os erros e traçar um plano de recuperação.
Aprender com o erros e focar nos resultados. Se deixar a organização sob uma gestão ruim, a organização se “desorganiza”, e todos os envolvidos sofrem com isso.

Pense numa casa desorganizada. Os habitantes dessa casa sofrem as consequências dessa desorganização. É preciso haver mudança para tornar a vida melhor.

Sou muito favorável a mudanças!

Mas existem algumas mudanças que não estão sob o nosso controle.

Podemos influenciar, mas não podemos controlar.

O ponto onde eu quero chegar, é que só temos o poder de mudar aquilo que controlamos.

Precisamos ter essa certeza:

Só temos o poder de mudar o que está sob nosso controle

Não podemos controlar a política, não podemos controlar a economia, não podemos controlar as decisões de outras pessoas.

Podemos influenciar, isso sim está sob nosso controle: exercer influência. Mas a decisão final, não está em nossas mãos.

Existem muitas coisas que estão fora de nosso controle.

Porém, também existem diversas situações, ações e pensamentos que temos controle. Aliás, existem muitas coisas que estão sob o nosso controle:

  • Podemos controlar nossas decisões conscientes
  • Podemos controlar nossas finanças
  • Podemos controlar nossos sentimentos
  • Podemos controlar nossa percepção do mundo

Como diria Obama:

Sim nós podemos!

Muitas vezes não controlamos, porque não sabemos como.

  • Podemos controlar nossas decisões conscientes

Mas tomamos mais decisões inconscientes do que decisões conscientes

  • Podemos controlar nossas finanças

Mas não sabemos bem como administrar nosso dinheiro. Não fomos ensinados, não fomos treinados. Aprendemos a administrar nosso dinheiro por tentativa e erro

  • Podemos controlar nossa percepção do mundo

Mas muitas vezes somos influenciados por terceiros e não temos uma opinião claramente definida.

A verdade é que

MUDAR DÓI!

Toda mudança é dolorida.

Quem nunca ouviu a frase: Sempre foi assim, pra que fazer diferente? Sempre fizemos desse jeito e ninguém nunca reclamou.

A maioria das pessoas são avessas a mudanças

A maioria das pessoas tem medo do desconhecido, tem medo de assumir o controle levar a vida para um lugar pior do que onde está. Mesmo que as coisas não estejam boas, o medo da mudança, medo da dor, medo do desconhecido, medo de perder o controle, faz com que as pessoas vivam como diz a música: “deixa a vida me levar, vida leva eu“.

Não faça isso. Você precisa tomar o controle da sua vida nas mão e deixar de viver ao sabor dos acontecimentos.

Muitas vezes, não sabemos nem o motivo, mas não queremos mudar.

Acontece que:

Fazer sempre as mesmas coisas,
vai te levar sempre ao mesmo resultado

Não espere que a situação mude, tome o controle e mude você.

Se você tem um sonho, por mais absurdo que ele pareça, vá buscar seu sonho.

Posso te garantir que seu sonho não vai cair no seu colo.

Sonhos precisam ser conquistados.

Você já assistiu o filme “A Procura da Felicidade”, com Will Smith?
Existe uma parte do filme onde Will Smith estava tendo um tempo difícil com seu filho e ele acaba por desmotivar seu filho. No instante seguinte, ele percebe a besteira que estava fazendo, reassume o controle da situação e faz um dos discursos mais motivadores e verdadeiros que eu já vi.

Olhe a cena abaixo:

Gosto tanto desse trecho do filme, em especial desse discurso, que eu tenho ele colado ao lado da minha mesa no trabalho. Pra que eu nunca esqueça de estar no controle e buscar meus sonhos.

Vitórias não são fáceis, se fosse fácil, qualquer um seria um vencedor.
Eu tenho visto que apenas aqueles que desejam profundo e lutam por seus sonhos que vencem as batalhas da vida.

Não espere que as mudanças aconteçam para que a vida seja melhor

Não espere melhorar a economia, o governo, seu chefe, ou nada que não esteja sob seu completo controle.

Mudança de vida vai acontecer quando você tomar o controle total sobre a sua vida e der o rumo correto pra ela.

Essa mudança, começa na mente.

Mude seus pensamentos!

Tenha certeza de que tudo o que você precisa, está disponível para você agora mesmo.

O que passou, passou. O ontem, já se foi.
Hoje é o dia, a hora é agora!

Não espere mudar o cenário, o ambiente, o trabalho ou a sua situação.

Mudanças devem acontecer de dentro pra fora.

Mude seus pensamentos a respeito da situação e comece a encontrar luz onde antes só havia trevas.

Veja pequenas oportunidades onde você está. Não precisa sair de onde você está para ver as oportunidades.

Observe atentamente

Quando eu falo para mudar, não é pra sair mudando tudo na sua vida sem critério. Mudança consistente, precisa de planejamento. Exige esforço na direção correta.

Não gosta do seu trabalho? Não peça demissão sem ter outra fonte de renda segura. Se esforce muito, onde você está, para encontrar as alternativas seguras e conscientes de uma mudança definitiva. Antes de mudar de direção, saiba qual a direção correta.

– “Mas como vamos saber a direção correta?”
– Dificilmente saberemos com certeza. Temos que experimentar. Não sair atirando pra todo lado. Estude as alternativas primeiro, pense nos prós e contras, pense nas consequências e nas possibilidades.
Temos de escolher uma direção e seguir em frente, pagando o preço necessário e sofrendo as consequências de nossas escolhas.

Mudança de vida, vai exigir mudança de direção. Mudança de direção vai exigir abrir mão da outra direção.

Quer uma vida saudável?

Vai exigir abrir mão do que não é saudável.

Quer para de fumar?

Vai exigir abrir mão do “prazer” provocado pela nicotina.

Quer largar as drogas?

Vai precisar achar outra forma de “lazer”, que gere mais felicidade que o “relax” momentâneo dos narcóticos.

Não está feliz com seu peso ou com seu corpo?

Não adianta para de comer, pois sem nutrientes, você vai ficar doente mais rápido do que  ficar magro. Se esforce para saber a forma correta de ter o corpo que você quer, no tempo certo. Não é fácil. Exige muito esforço. Exige disciplina. Exige abrir mão de algumas coisas.

MUDAR DÓI!

As vezes dói na alma, as vezes dói no corpo.

Largar um vício, dói na alma, dói no corpo, dói na mente… Não vai ser fácil, mas se fosse fácil, qualquer um faria. Vencer não é para qualquer um, vencer é para os que querem ardentemente vencer, pagam o preço e recebem a glória.

Vencer é para os que reconhecem que podem controlar suas vidas, pagam o preço da disciplina e da excelência.

Vencer não é para qualquer um, mas pode ser para você!

Você tem todas as ferramentas necessárias para vencer.

Busque e alcance seus sonhos!

Cada dia é um novo dia, uma nova oportunidade de mudar o rumo de nossas vidas e buscar nossos sonhos.

Quero deixar um desafio aqui:

 

Te desafio a, nesta semana, não prestar atenção para as notícias, não se preocupar com o governo, com os escândalos, com a corrupção, com o desemprego nem com as adversidades.

Nessa semana, treine sua mente.

Pare suas atividades por alguns instantes, em um lugar tranquilo.

Acalme sua mente

Pense no que você pode controlar, para mudar sua vida.

Foco total no que está sob seu controle, esqueça todo o resto.

Foco no seu trabalho, no seu negócio e nos seus sonhos.
Isso está sob o seu controle.

Foco na sua família, na sua casa e nos seus filhos.
Isso está sob o seu controle.

Foco em suas respostas e emoções.
Você não pode controlar os acontecimentos, mas pode controlar a sua reação a eles. Você pode decidir como quer se sentir.

Assuma o controle da sua vida!

Se você não acreditar em você mesmo, quem irá acreditar?

Assuma o controle da sua vida!

Deixe um comentário

Arquivado em Economia, Finanças

Palestra sobre Finanças Pessoais

Aprenda administrar seu dinheiro com excelência.

Palestra Finanças

Vou te ensinar como administrar seu dinheiro, quitar suas dívidas e ter uma vida financeira próspera.

Te convido a participar dessa palestra no ADAI College

Dia 09 de Abril de 2016 – Sábado – 09h

Rua Bom Pastor, 2732 – Ipiranga – São Paulo – SP

Inscrições limitadas pelo e-mail: adaicollege@gmail.com

Valor: R$ 50,00 / pessoa

Deixe um comentário

Arquivado em Economia, Finanças

Vale, Telebrás e Embraer. Privatizar foi um bom negócio?

Em meio a escândalos sem fim, os favoráveis às privatizações  citam freqüentes casos de corrupção, de empreguismo e de ineficiência ocorrida em grande parte das empresas estatais. Já os contrários à privatização alegam que o Estado brasileiro vendeu para grupos multinacionais patrimônio público por um valor muito inferior ao real, dando a esses grupos econômicos privilegiados a oportunidade de realizar lucros extraordinários.

Sou completamente favorável a privatização. Por isso, decidi fazer um levantamento das três privatizações mais polêmicas, a Vale, Telebras e Embraer, para que você veja a verdade sobre os fatos e números e tire suas próprias conclusões:

 

 Companhia Vale do Rio Doce (CVRD), atualmente Vale S.A, foi criada em 1942 no governo Getúlio Vargas. Antes empresa de economia mista, hoje é uma empresa privada, de capital aberto, com sede no Rio de Janeiro.
O Conselho de Administração da Vale é controlado pela Valepar S.A, que detém 53,3% do capital votante da Vale (33,6% do capital total). Por sua vez a constituição acionária da Valepar é a seguinte: Litel/Litela (fundos de investimentos administrados pela Previ) com 49% das ações, Bradespar com 17,4%, Mitsui com 15%, BNDESpar com 9,5%, Elétron (Opportunity) com 0,03%.

Em 2006 comprou 75,66% das ações da Inco, por C$ 86,00 (dólares canadenses) por ação, ou um total de cerca de US$ 18 bilhões. É o maior negócio fechado por uma empresa brasileira na história, o que a tornou a segunda maior mineradora do mundo.
Após esta incorporação, (2007) a Vale chegou a um valor de mercado de R$ 298 bilhões, superando inclusive a Petrobras, em R$ 8 bilhões.

Operando em 13 estados brasileiros e nos  cinco continentes, a Vale possui mais de 10 mil quilômetros de malha ferroviária e 9 terminais portuários próprios. É a maior empresa no mercado de minério de ferro e pelotas (posição que atingiu em 1974 e ainda mantém) e a segunda maior produtora integrada de manganês e ferroligas, além de operar serviços de logística, atividade em que é a maior do Brasil.

A CVRD foi privatizada no dia 6 de maio de 1997 – durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, para o consórcio Brasil, liderado pela Companhia Siderúrgica Nacional, de Benjamin Steinbruch (grupo Vicunha), que adquiriu o controle acionário da Vale por US$ 3.338.178.240 ou cerca de 3,3 bilhões de dólares, na ocasião, representando 27% do capital total da empresa, antes pertencente à União, que representavam 41,73% das ações ordinárias (com direito a voto) da empresa. As ações preferenciais (sem direito a voto) continuaram em mãos de acionistas privados.

Uma das melhores análises, isenta de partidarismo, que encontrei nesta pesquisa, sobre a venda da Vale, foi um artigo de 2011, “Valeu a pena privatizar a Vale?” de Vinícius Carrasco e João Manoel, que o leitor pode ver clicando aqui: Brasil Economia e Governo.

Após mais de 15 anos desde sua privatização, a Vale apresenta hoje números notáveis:

Como estatal, valia apenas U$ 8 bilhões. Em 2010, a Vale teve capitalização no mercado internacional de U$ 160 bilhões de dólares. Em 2011, o valor de mercado da Vale era de U$ 190 bilhões

Com 11 mil funcionários até a privatização, em 2010, a Vale empregava 174 mil pessoas, das quais 130 mil no Brasil.

A Receita Bruta alcançou U$ 53 bilhões. A empresa passou de um lucro líquido de R$ 1,378 bilhão em 1997, para R$ 37,8 bilhões, em 2011. Em 2010, o lucro líquido foi de R$ 30,1 bilhões. O lucro líquido da empresa em 2011 – R$ 37,8 bilhões – rendeu 5,5 salários para cada funcionário a título de Participação nos lucros.

Entre 2007 e 2010, a Vale investiu U$ 725 milhões em projetos sociais, e U$ 1,7 bilhão  no meio ambiente. Em 2011, ela investiu US$ 17,9 bilhões em siderurgia, petróleo e geração de energia.

O processo de privatização permitiu aos brasileiros comprar ações com FGTS. Elas renderam, desde 1997, mais de 4.290,26%.
(Você pode usar o simulador do site da empresa, clicando aqui: Simulador de investimentos )

Expressivo aumento dos impostos pagos pela companhia.  No período estatal, a empresa recolheu  R$ 620 milhões em impostos. No período privado, os impostos subiram para R$ 1,5 bilhão, mais que o dobro. O recolhimento do Imposto de Renda, passou de R$ 104 milhões no período estatal para R$ 4,4 bilhões no período privado. Ou seja, a contribuição da Vale em impostos para o governo passou de R$ 724 milhões para R$ 6 bilhões, depois de privatizada. Um aumento de 733%.

 Telecomunicações Brasileiras S.A. (Telebrás) é uma holding que controlava as várias prestadoras estatais de serviços telefônicos que atuavam nos Estados brasileiros, além da Embratel.

Desativada em 1998 pelo processo de privatização das empresas estatais de telefonia do governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), a empresa foi oficialmente reativada para gerir o Plano Nacional de Banda Larga em 2010 pelo governo de Luís Inácio Lula da Silva (PT).

19% das ações que o governo detinha, foi a parcela vendida no leilão de 29 de julho de 1998 e pela qual o governo recebeu R$ 22,2 bilhões ( equivalente a US$ 19 bilhões na época)
Além dos R$ 22,2 bilhões recebidos pela privatização da Telebrás, o governo brasileiro recebeu mais R$ 45 bilhões com a venda de licenças às diversas operadoras, de 1996 até hoje, o que soma R$ 67,2 bilhões.
Após a privatização, o Brasil saltou de 24,5 milhões de acessos a linha telefônica,  para 230 milhões.
Com um dos impostos mais caros do mundo, (43%) sobre este serviço, o governo arrecada hoje cerca de R$ 40 Bilhões anuais em tributos.

Outro dado que não poderia faltar, o setor empregava 20 mil trabalhadores antes da privatização. Hoje, são 390,9 mil.

 Embraer foi fundada no ano de 1969 como uma sociedade de economia mista, vinculada ao Ministério da Aeronáutica.
Foi privatizada em 1994, durante o governo de Itamar Franco, para depois passar por um longo processo de reestruturação e apresentar novos projetos que a tornariam uma gigante de setor.

Possui 17 mil empregados. Em 2010, entregou 246 aviões, com um valor adicionado de R$ 2,7 bilhões. Somente em impostos, foram R$ 503 milhões.

Com uma receita líquida de R$ 12,2 bilhões (US$ 6,1 bilhões) em 2012, passou à quarta posição mundial no setor, abaixo da principal concorrente, a canadense Bombardier (que encerrou 2012 com um faturamento de US$ 8,6 bilhões), da Airbus e da Boeing.
Essa queda para a quarta posição foi uma decisão estratégica da empresa, que optou por reduzir a atuação no mercado de aeronaves comerciais (onde há uma maior concorrência internacional) e ampliar seu mercado na linha executiva e defesa.
Essa mudança de estratégia levou a Embraer a ser em 2012, a empresa que mais cresceu, das maiores exportadoras brasileiras (17,6% em relação a 2011)

A Embraer, antes de ser privatizada, estava à beira da bancarrota e sequer figurava entre as empresas com maior valor de mercado. Quase vinte anos após a privatização, seu ativo total estava avaliado em R$ 20,4 bilhões (março/2013), além de figurar como a terceira maior fabricante de jatos do mundo.

Apesar de esses números não estarem com as últimas informações atualizadas, nenhuma dessas empresas teve grandes mudanças nos últimos tempos.

Agora, de posse destes dados, você pode avaliar com isenção os resultados das privatizações, ao contrário de políticos e militantes que distorcem a realidade e os números, para favorecer a ideologia e seus interesses político-partidários.

É comprovado o benefício das privatizações, tanto para o governo que arrecada mais, quanto para os investidores que obtém melhores retornos sobre seus investimentos. A população em geral também se beneficia, uma vez que o governo arrecada mais e com isso tem mais recursos para promover o “bem-estar social”.

Isso, deve ser utilizado como argumento para a privatização imediata da Petrobras e de todas as empresas que a iniciativa privada tem interesse. O Governo só deve investir em empresas e setores onde o interesse privado não tem interesse, como forma de fomentar uma região ou um mercado específico.
A Vale, CSN e a Petrobras foram importantes investimentos governamentais no inicio da industrialização brasileira, como forma de atrair empresas do setor automotivo a investir no Brasil. Mesmo exemplo no caso da Telebras e da Embraer, além de tantos outros exemplos.

Hoje, o governo não precisa mais investir nesses setores, pois há interesse da iniciativa privada que administra muito mais eficientemente e isso gera mais impostos, que possibilita investimentos do governo no bem estar social, que deveria ser o interesse máximo da gestão pública.

Fonte: Acordando Alices e Marias: Vale, Telebrás e Embraer. Privatizar foi um erro?.

Deixe um comentário

Arquivado em Economia

Dicas para Economizar no Supermercado

Em tempos de crise, aumento de desemprego e incertezas sobre o futuro, o melhor a fazer é organizar suas contas e conferir todas as possibilidades de economizar.

Gastos no supermercado são parte importante de um orçamento familiar.

Para ajudar nesse item do seu orçamento, vou listar algumas dicas para melhorar a qualidade dos seus gastos e economizar no supermercado.

Compras de supermercado pode ser um perigo, caso você não tenha controle.

Algumas pessoas recebem vale alimentação do seu empregador, o que ajuda em muito no orçamento familiar. Porém precisa ficar muito claro que esse valor é parte do seu salário e deve ser considerado como uma entrada no seu orçamento. A única diferença, é que ele não é depositado na sua conta corrente.

Não dá para economizar dinheiro no supermercado se você quiser pegar todos os produtos que estão disponíveis.

Mas existem várias formas para gastar menos e ter mais disciplina. Isso pode garantir uma grande quantia de dinheiro no futuro.

Veja as Dicas:

1) Reorganize sua dispensa e geladeira
É fácil perder a noção do que você já tem, deixar coisas estragarem e comprar o que você não precisava. De tempos em tempos, é bom reorganizar o que você tem guardado justamente para ter noção e impedir que isto ocorra.

2) Tenha uma lista padrão
Há muitos itens que você comprará em todas as idas no supermercado.
Fazendo uma lista, você se atenta mais aos itens que você realmente precisa e não comprará o que não precisa.

Lista de Compras

Eu uso uma lista de compras padrão e estou compartilhando aqui com vocês.
Basta deixar seu e-mail abaixo que eu envio.

 

3) Faça uma comparação de preços
Os supermercados praticam preços diferentes e uma pesquisa pode te ajudar a escolher a loja com o menor preço.
Você pode usar a sua lista padrão de compras para verificar o que você compra frequentemente e  conseguir comparar os preços desses produtos com mais facilidade.  Os jornais de ofertas de mercados sevem como uma referência, mas lembre-se, normalmente os produtos anunciados servem como um chamariz para que você vá à loja e compre outros produtos mais caros.

4) Não vá ao mercado com fome
Pode parecer bobeira, mas não se engane, a nossa mente tem a capacidade de nos sabotar. Pesquisas indicam que quando estamos com fome e vamos fazer compras de supermercado, há uma tendência bem maior de comprarmos coisas que não são necessárias, principalmente aqueles lanches que engordam bastante e não são nem um pouco saudáveis.

5) Evite fazer compras com crianças
Não leve as crianças para fazer compras. Se chegar o dia de ir e não tiver com quem deixá-las é melhor deixar as compras para outro dia. As crianças são muito fáceis de serem manipuladas pelos produtos do supermercado e você fará qualquer coisa para ter paz e tranquilidade durante esse momento.
Quem quer uma criança chorando escandalosamente no supermercado no meio de todo mundo, porque você não comprou aquele salgadinho ou aquele doce que ela tanto queria?
Portanto, tenha certeza de que as crianças te manipularão e te farão comprar muitos supérfluos. Deixe-as longe do mercado.

6) Use preferencialmente uma cesta, não um carrinho
Um carrinho grande geralmente te induz a comprar coisas que você não precisa.
Por isso, pegue uma cestinha ou escolha os carrinhos menores.
Com menos espaço você provavelmente pegará apenas o essencial.

Cesta de Compras

7) Inverta suas responsabilidades
Muitos casais não fazem as compras juntos: geralmente isso acaba sendo responsabilidade de um dos dois. Inverter essas responsabilidades de tempos em tempos pode ajudar a descobrir o que não deveria ser comprado e evitar vícios.

Seguindo essas dicas você pode melhorar significativamente a qualidade dos gastos no supermercado e contribuir positivamente para seu orçamento familiar.

Tem outras dicas?
Deixe um comentário com suas dicas de compras de supermercado.

Deixe um comentário

Arquivado em Economia

Realidade Brasileira em 2015

Realidade Brasileira 2015

Realidade Brasileira em 2015

1 comentário

Arquivado em Economia

Onde investir R$100,00 / mês?

Existem investimentos que rendem muito mais que a poupança.

independencia-financeira

Muitas pessoas até têm a vontade de investir e buscar opções mais rentáveis que a poupança, no entanto, acreditam que não possuem dinheiro suficiente para fazer operações financeiras mais lucrativas e interessantes.

No entanto, que com R$ 100,00 por mês, ou até menos, já é possível investir em uma alternativa melhor que a poupança.

Uma alternativa é o Tesouro Direto, programa de compra e venda de títulos públicos do governo federal.
O programa conta com três opções diferentes de títulos disponíveis:

  • Tesouro Selic – que segue a variação da taxa de juros
  • Tesouro IPCA+ – que remunera a inflação mais uma taxa de juros real
  • Tesouro Prefixado – que tem uma taxa determinada no momento da compra.

Além da variedade na hora de escolher os títulos, outra vantagem do programa é a liquidez diária, que permite que o investidor possa sacar o dinheiro a qualquer momento. Porém, o investidor que quiser resgatar o dinheiro antes do vencimento deve investir no Tesouro Selic, que não conta com volatilidade.

Caso o investidor aplique nos outros dois títulos, ele deve ou seguir com o título até seu vencimento, e assim garantir a rentabilidade, ou procurar uma assessoria profissional de investimentos para auxiliá-lo.

A rentabilidade dos títulos oferecidos é uma das maiores vantagens do programa.  Mesmo não sendo um investimento isento de imposto de renda e mesmo na alíquota mais alta (que é de investimentos com um prazo menor de seis meses e chega a 22,5%) o Tesouro Direto segue rendendo muito mais que a poupança.

No entanto, o investidor deve escolher com atenção a instituição financeira por meio da qual irá aplicar no programa, pois as operações tem custo. No site do Tesouro Direto é possível encontrar as taxas cobradas por todos os bancos e corretoras. É possível descobrir as instituições que pagam as menores taxas com a mesma segurança.

Outro cuidado necessário é com os bancos de varejo. Caso o investidor queira fazer a aplicação em seu próprio banco de varejo, converse bem com o gerente. Muitos gerentes dificultam a entrada no Tesouro Direto, falam que é muito difícil investir no programa e tentam oferecer outras opções que são mais rentáveis para o banco. Cuidado, o gerente da sua conta é, em primeiro lugar, funcionário do banco, por isso tende a oferecer alternativas melhores para seu empregador. Mas o investidor está livre para procurar qualquer corretora nesses casos.

Uma vantagem que surpreende muitas pessoas que não são familiarizadas com o mundo dos investimentos:

Tesouro Direto é ainda mais seguro que a poupança, uma vez que o risco é soberano e o governo é o melhor credor que existe.

2014-01-13-poupar

Deixe um comentário

Arquivado em Economia